Notícias

Voltz inaugura primeira fábrica de motos elétricas do Brasil em Manaus

Primeiros lotes devem ficar prontos em 6 junho

Por Roseli Andrion | 30/05/2022 às 16:17
Divulgação/Voltz
Foto: Divulgação/Voltz

Voltz EVS é um dos modelos que será produzido em Manaus

Com 11 mil m² da área, a primeira fábrica de motos elétricas do Brasil foi inaugurada nesta segunda-feira (30) pela Voltz no Distrito Industrial de Manaus (AM). Quando estiver totalmente instalada, a unidade terá três linhas de produção automática, que incluem estampagem de chassi, montadoras e balanceadoras de rodas, montagem e injeção de sistemas de freio e dinamômetros para teste de motos. 

O investimento de R$ 12 milhões prevê a geração de 200 novos postos de emprego na região. O objetivo é que a fábrica produza 180 mil motos elétricas por ano. Isso quer dizer que, a cada cinco minutos, uma moto vai sair completa da linha de montagem.

Renato Villar, CEO da companhia, informa que, inicialmente, serão produzidos três modelos que já são comercializados por aqui, mas ainda são importados: EV1 Sport, EVS e EVS Work. Os volumes dependerão da demanda, mas os primeiros lotes devem ficar prontos em 6 de junho.

Tecnologia para mobilidade

A Voltz se define como uma “empresa de tecnologia para facilitar a mobilidade e redefinir o cenário nacional com veículos inteligentes e não-poluentes”. A companhia quer se tornar referência em excelência e, para isso, contratou Adelino Cardoso como diretor de operações: ele passou 13 anos na Harley-Davidson. “Fiquei maravilhado com o projeto da Voltz para mobilidade e quis fazer parte desta mudança”, revelou ao Canaltech.

A escolha de Manaus para abrigar a fábrica é estratégica: Cardoso aponta que quase toda a cadeia de peças para motocicletas está lá. “A Zona Franca de Manaus conta com mais ou menos 500 empresas incentivadas, com pegada ambiental muito baixa, e que geraram mais de R$ 150 bilhões de faturamento em 2021”, destaca.

Para Villar, isso vai permitir que a empresa dê um passo em direção à estabilização da cadeia de suprimentos com a China. “Além de garantir um melhor controle de qualidade, permite ainda uma oportunidade de obter melhores custos dos produtos”, aponta.

Segundo Cardoso, a Voltz pretende, em breve, nacionalizar a produção das peças que apresentam maior desgaste nas motos, como pneus e freios. O objetivo é otimizar o tempo quando houver necessidade de reposição. Hoje, quem quer comprar uma Voltz tem que esperar um pouco: o sistema indica que a entrega deve demorar 24 semanas. A companhia quer zerar a fila de clientes interessados até outubro.

Confira as principais notícias de Tecnologia no canal da Itatiaia no Youtube


Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou