Daniel Barros

17 de May de 2022

Por Rádio Itatiaia, 5/17/2022 às 12:45 PM

A voz da Ave Maria

Foi na pequenina localidade de Ferreiros, uma estação da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, no Mato Grosso que nasceu uma das maiores vozes de Minas e do Brasil. Daniel Barros foi criado em Campo Grande e desde cedo foi apaixonado pelo Rádio. Teve uma infância muito pobre e sua vida deu uma guinada quando foi servir ao Exército. Participando de algumas solenidades, a voz bonita chamou a atenção do pessoal do rádio e da música. Foi encaminhado a uma professora de canto lírico, mas acabou fazendo a opção pelo rádio. 

Começou na Rádio Difusora de Campo Grande em 24 de fevereiro de 1964. Um ano depois, quando ainda estava no Exército, o empresário João Saad, da Rede Bandeirantes o ouviu numa locução local e o levou, primeiro para São Paulo e depois para Montes Claros. Mas de vez em quando, Daniel vinha à Belo Horizonte gravar uns comerciais na Rádio Itatiaia. A partir daí, querendo ampliar os horizontes e dar um gás na carreira, resolveu se mudar para a capital e foi morar numa pensão bem em frente à Itatiaia. E o rapaz, ainda começando na carreira, dividia a pensão com nomes já consagrados como Gil Costa, Vilibaldo Alves, Edson Rodrigues e Jota Júnior. A ponte já estava erguida. Começou na Itatiaia em 1966, no horário da 05:30 hs como locutor noticiarista. Nesta época, o locutor Hélio Costa tinha ido para a Voz da América, nos Estados Unidos e no lugar dele ficou o Hélio Batista, mas que acabou saindo também. Foi a deixa que Daniel Barros precisava para se deslanchar. E como ele próprio gosta de destacar, foi tudo muito rápido: na Copa de 62 ele era peão numa fazenda perto do Paraguai e na Copa de 66 já era locutor na Itatiaia. E em 68 já ganhava o prêmio de melhor noticiarista de Minas Gerais. 

E aqui na Itatiaia, Daniel Barros fez de tudo um pouco. Além de noticiarista, participou do Rádio Polícia - um dos programas de maior sucesso da história da Itatiaia, dividiu com José Lino o “Jornal dos 12” - um noticiário inovador na hora do almoço e também o Jornal da Noite; lia os Correspondentes Itatiaia, o Jornal da Manhã e era noticiarista também da TV Vila Rica, na época da Força Nova de Comunicação. 

Além de sua atuação na Itatiaia, Daniel Barros fazia locução também na Rádio Cultura, que à época pertencia ao grupo e ganhava destaque na locução comercial - principalmente por trazer um estilo inovador, com um tom mais baixo e passou a trabalhar para as principais agências publicitárias de Minas. 

Mas uma das atuações mais marcantes da sua história é a Ave Maria, na Hora do Angelus, às 18:00 hs. No início, ela era lida pelo Padre Antônio Gonçalves, mas quando mais tarde, assumiu a locução, Daniel Barros, deu outra dimensão a este momento muito especial de mensagens positivas, que trazem uma força e um alento para as pessoas. 

Apesar de ter se desligado como funcionário em 1973, Daniel Barros continuou prestando serviços à Itatiaia, gravando vinhetas e áudios institucionais da emissora e sendo a voz da Ave Maria. Ao mesmo tempo, se transformou num dos locutores mais requisitados em Minas e também fora do estado, gravando não só campanhas publicitárias dos maiores anunciantes nacionais, mas também campanhas políticas por todo o país. 

Entre diversos prêmios já recebidos, se destacam o do SINDAPRO (Sindicato das Agências de Propaganda), junto com a AMP (Associação Mineira de Propaganda) e o Grupo Mineiro de Rádio. Daniel Barros foi eleito diversas vezes melhor locutor do mercado e profissional especializado do ano.